Homicídio qualificado; asfixia e esfaqueamento; acusação | Ministério Público no Diap da Procuradoria da República de Braga (Guimarães, 1.ª secção)

 


22/07/2020

Por despacho do dia 14.07.2020, o Ministério Público no Diap da Procuradoria da República de Braga (Guimarães, 1.ª secção) deduziu acusação contra dois arguidos, pela prática do crime de homicídio qualificado, um a título de autoria, outro a título de cumplicidade.

 

Indiciou o Ministério Público que no dia 05.09.2019, um dos arguidos confidenciou ao outro, seu amigo, a ideia que alimentava há anos de matar o seu próprio pai, para dele se vingar por comportamentos passados, pedindo-lhe ajuda na concretização da mesma; e que este amigo aceitou ajudá-lo, acompanhando-o à residência da vítima, ficando no exterior a vigiar e para acudir se necessário fosse.

 

Mais indiciou o Ministério Público que na execução destes propósito e acordo, naquele mesmo dia, entre as 22h00 e as 22h30, os dois arguidos dirigiram-se à casa da vítima, sita em Canedo de Basto, posto o que, enquanto um ficou no exterior da casa de residência, para os fins combinados, o outro dirigiu-se ao interior da casa e abordou o seu pai; e que após troca breve mas exaltada de palavras, logrou passar-lhe uma corda em volta do pescoço e apertar; mas que tendo a corda rebentado, e fazendo a vítima menção de reagir, o arguido sacou de uma navalha, abriu-a e com a mesma golpeou o seu pai por várias vezes, com tudo lhe causando a morte.