Homicídio qualificado na forma tentada; disparo de espingarda caçadeira; arguido em prisão preventiva; acusação | Ministério Público no Diap da Procuradoria da República de Braga (Guimarães, 1.ª secção)

 


16/03/2020

Por despacho datado de 12.02.2020, o Ministério Público no Diap da Procuradoria da República de Braga (Guimarães, 1.ª secção) deduziu acusação contra um arguido imputando-lhe a prática de um crime de homicídio qualificado na forma tentada e de um crime de detenção de arma proibida.

 

O Ministério Público considerou indiciado que o arguido, no dia 13.09.2019, pelas 23h00, no contexto de uma discussão que manteve com o seu irmão, no interior da casa de residência onde ambos viviam, sita numa freguesia do concelho de Fafe, se muniu de uma espingarda caçadeira e dirigiu-se ao quarto do seu irmão, que nele se encerrara, trancando a porta; refere a acusação que o arguido desferiu pancadas com um martelo na porta, conseguindo criar um orifício por onde meteu os canos da espingarda municiada que portava;  e que com os canos da espingarda assim metidos do exterior para o interior do quarto, dizendo ao irmão que o ia matar, efectuou um disparo, o qual só não o atingiu por ter ele agarrado pelo interior do quarto os canos da espingarda e desviadoa trajectória do disparo.

 

O arguido encontra-se em prisão preventiva.